Saudações alvi-celestes!

Saudações alvi-celestes! Este blog tem por objetivo mostrar a história, curiosidades, fotos, videos, notícias e tudo que for ligado ao nosso Londrina Esporte Clube, o Tubarão.
Estamos em pesquisa contínua, atualizando dados todas as semanas.
Sinta-se à vontade para entrar em contato conosco:
Colaborações, sugestões, informações: E-Mail: bloglondrinense@yahoo.com.br
Flávio Frim

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Jogos Históricos: Vasco 0x2 Londrina


Matéria publicada originalmente pelo Blog Londrinense em 11 de abril de 2012, reeditada em 19 de fevereiro de 2013.


História do LEC
VASCO DA GAMA 0x2 LONDRINA
19-02-1978
 No dia 19 de fevereiro de 1978 o Londrina ganhou do Vasco da Gama em pleno Estádio de São Januário, a famosa "batalha de São Januário", jogo válido pelo Campeonato Brasileiro de 1977 (o campeonato começou em 1977 e terminou em 1978) e que classificou o time norte-paranaense entre os quatro melhores times do Brasil. 
Curiosidades
* Orlando Fantoni, que na época treinava o Vasco, havia sido técnico do Londrina em 1972. 
* No jogo marcou-se o recorde de público do Estádio de São Januário
                   
Data: 19/02/1978 – Domingo – 17 Horas
VASCO DA GAMA 0X2 LONDRINA
Camp. Brasileiro de 1977– Fase Final – 5ª. Rodada – Grupo S
Local: Estádio de São Januário (Rio de Janeiro-RJ)
Árbitro: Maurílio José Santiago (MG)
Auxiliares: Jarbas de Castro Pedra e Vilmar Reis
Renda: Cr$ 1.356.270,00 – Público: 40.209 pagantes
Cartões amarelos: Arenghi e Nenê (LEC).
Gols: Brandão (8-1º) e Carlos Alberto Garcia (4-2º)
LONDRINA: Mauro; Claudinho, Carlos, Arenghi, Dirceu (Zé Antônio); Zé Roberto, Carlos Alberto Garcia e Ademar; Xaxá, Brandão e Nenê (Sérgio Américo). Técnico: Armando Renganeschi.
VASCO: Mazarópi; Orlando, Abel, Gaúcho e Marco Antônio; Zé Mário, Paulo Roberto e Guina; Wilsinho (Capitão), Roberto Dinamite e Ramon (Paulinho). Técnico: Orlando Fantoni. 


Veja um compacto de aproximadamente 5 minutos do jogo Vasco da Gama 0x2 Londrina em 1978. Narração de Tércio de Lima – TV Globo RJ:




Clique nas imagens para ampliar










 É autorizada a reprodução total ou parcial sem fins lucrativos do conteúdo deste blog, desde que citada a fonte 

Texto: Alexandre Mesquita – Site VASCONET – www.vasconet.com.br

           Não foi um dia exatamente para ser guardado na memória dos vascaínos. Afinal de contas, o grande time campeão carioca, equipe que encantou a galera no ano anterior, acabava de ser desclassificado do Campeonato Nacional de 1977 pelo nada tradicional Londrina. E tudo isso em casa, diante de um público pagante recorde de 40.209 pessoas, que proporcionaram a renda de CR$ 1.356.270,00. Os gols dos visitantes foram marcados por Brandão e Carlos Alberto Garcia, um em cada tempo de jogo.

       Na partida que decidiria o futuro do Grupo S, na 3ª Fase do Brasileirão, o Vasco precisava vencer a surpresa paranaense por dois gols de diferença para se classificar às Semifinais. Parte da imprensa esportiva queria que o jogo fosse levado para o Maracanã, que comportaria um público ainda maior e onde, supostamente, seriam oferecidas condições de segurança mais adequadas ao time visitante. Porém, o Presidente do clube carioca, Agathyrno Silva Gomes, bateu o pé firme e a CBD confirmou o encontro para São Januário.

          No entanto, o que se viu foi realmente uma batalha: dentro e fora de campo! Mais de dez mil pessoas ficaram sem ingresso do lado de fora, causando fortes tumultos e tentando passar pela polícia para invadir o já lotado estádio. Com a bola rolando, o Londrina mais uma vez surpreende e abre o placar com Brandão, logo aos oito minutos, em uma bobeira coletiva da defesa cruzmaltina. O Almirante tenta reagir, mas faltou inspiração àquele dia.

         Na volta do intervalo, um outro gol relâmpago acaba de vez com a esperança do título: Carlos Alberto Garcia, que seria contratado meses mais tarde, completa uma cobrança de falta e aumenta a vantagem. Depois disso, o desespero tomou conta de todos no Vasco: o time, nervoso, não esboçou nenhuma reação e a torcida, impaciente e revoltada, atirava tudo em direção ao gramado. Em uma dessas garrafadas, quem levou a pior foi Orlando "Lelé", que foi atingido em cheio. Um desfecho lamentável para uma equipe que vinha apresentando um belo futebol em um passado tão recente.


Clique para ampliar
Clique para ampliar

Nenhum comentário:

Postar um comentário